Notícias

Divulgação Cultural

 

Lançamento | O Patriota. Memória do periodismo de contrapoder | 26 maio | 18h00 | BNP

Lançamento | O Patriota. Memória do periodismo de contrapoder | 26 maio | 18h00 | BNP

O Patriota (1842-1853)
Memória do periodismo de contrapoder

LANÇAMENTO | 26 maio ’21 | 18h00 | Auditório | Entrada livre (limitada a 21 lugares, com inscrição prévia para rel_publicas@bnportugal.gov.pt)

Da autoria de José Augusto dos Santos Alves, esta publicação resulta da colaboração da Biblioteca Nacional de Portugal com apoio do CHAM (NOVA FCSH+UAC), FCT e CML e é apresentada por João Luís Lisboa.

As transformações da historiografia da Revolução vintista, que comemora este ano 200 anos, refletem as do mundo no qual o acontecimento revolucionário é pensado, de 1820 a 2020. Desenha-se assim uma trajetória teórico-política em que os testemunhos e as análises militantes dão, pouco a pouco, lugar à história social e à análise cultural. Neste quadro, é importante sublinhar a relevância do periódico O Patriota, publicado entre 1842 e 1853, e aqui em estudo, ao serviço de uma causa: o combate político ao Cabralismo e às periferias que o suportam.

Esta é uma investigação que deve ser olhada como fundamental no que tange aos distintos diferenciais e à compreensão do exercício do poder cabralista. Dito de outro modo, o conhecimento do Cabralismo não pode ser ignorado, mas sim visto numa leitura atualizada. Significa isto que é crucial desocultar o ponto de vista dos oprimidos que povoam de forma linear ou de modo enviesado os conteúdos dos periódicos, uma ótica que permite restituir ao processo revolucionário toda a sua riqueza e complexidade. Assim, não basta olhar O Patriota como mais um periódico, entre outros. É necessária uma leitura aprofundada e uma reflexão apropriada para a compreensão do Cabralismo e do século XIX. A leitura desta obra permite essa leitura e essa reflexão.

Posto isto, deve enfatizar-se o tema central – o consulado de Costa Cabral – objeto de combate político no corpo de O Patriota que tem no Constitucionalismo vintista a força que se lhe opõe. Viver, através do periodismo, no caso O Patriota, o quotidiano político da última década da primeira metade do século XIX é uma assombrosa experiência porque nos dá a ver muitas das razões – escavadas pelo Devorismo – por que a Revolução não teve o sucesso desejado por muitos.

Fonte: bnportugal.pt

Outros artigos em Divulgação Cultural:

Visita guiada | Exposição A diáspora da palavra | 23 set. | 16h00 | BNP

Visita guiada | Exposição A diáspora da palavra | 23 set. | 16h00 | BNP

A cultura portuguesa no século XVI conheceu o mundo. Muitas são as obras escritas por portugueses – de grandes livros a pequenos textos, passando por poemas isolados – que foram impressas além-fronteiras. Umas acompanharam a diáspora dos seus autores, outras foram aí produzidas por razões económicas ou por interesse dos locais nos escritos desses portugueses – uns vivos, outros mortos.

Mostra | ​Seara Nova, editora de livros | 15 set – 31 dez. | BNP

Mostra | ​Seara Nova, editora de livros | 15 set – 31 dez. | BNP

Embora o papel ímpar que a revista com o mesmo nome desempenhou na cultura portuguesa tenha sobrelevado sobre a restante atividade da Empresa de Publicidade Seara Nova, dada a conhecer em maio de 1921, o conjunto das obras que esta publicou, com aproximadamente seiscentos títulos, eleva-a à condição de uma das principais chancelas editoriais portuguesas do século XX.

Apoios/Parcerias:

Associação Portuguesa para o Estudo Clínico da SIDA (APECS)By The BookCarmo's Residence - Art ApartmentsConsulped - Consultórios de Pediatria e da Famíliaideiavirtual - aplicações interativasLACPEDI - Liga de Apoio Comunitário em prol do Estudo das Doenças InfecciosasLiga dos Amigos do Hospital de São Bernardo, LAHSB-CHS
LASAOrdem dos MédicosSociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos (SOPEAM)Sociedade Portuguesa de Medicina Interna: SPMISociedade Portuguesa de Medicina do Viajante (SPMV)sYnapsis