Notícias

Divulgação Cultural

Ciclo de Conferências | Literatura Escrita por Mulheres – D. Maria Constança da Câmara: a escrita íntima | 31 out. | 18h00 | BNP

Ciclo de Conferências | Literatura Escrita por Mulheres - D. Maria Constança da Câmara: a escrita íntima | 31 out. | 18h00 | BNP

Literatura Escrita por Mulheres – D. Maria Constança da Câmara, marquesa de Fronteira: a escrita íntima
CICLO DE CONFERÊNCIAS | 31 out. ´19 | 18h00 | Auditório | Entrada livre | Programa

Isabel Araújo Branco organiza a edição de 2019/2020 das conferências dedicadas a «Literatura Escrita por Mulheres», a terceira deste ciclo de encontros realizado no âmbito da linha de investigação «História das Mulheres e do Género», do CHAM-Centro de Humanidades NOVA.

A História tem vindo a ser escrita ao longo do tempo como um construto que generaliza a vivência humana através da padronização do e no masculino. História sem género, dir-se-ia, mas que afinal exclui as mulheres da história. A historiografia tem construído barreiras de análise cultural, social, religiosa e política que excluem as mulheres.

Com coordenação de Maria Barreto Dávila, a linha de investigação «História das Mulheres e do Género», do CHAM pretende contrariar esta tendência e constituir-se como uma área de investigação inovadora e multidisciplinar.

D. Maria Constança da Câmara, marquesa de Fronteira: a escrita íntima

D. Maria Constança da Câmara é uma ilustre desconhecida para o grande público, tendo nascido em 1801, em Lisboa. Descendente do navegador João Gonçalves Zarco e aparentada com a alta aristocracia portuguesa, casa com o 7º marquês de Fronteira, D. José Trasimundo Mascarenhas Barreto. Fruto da situação política em Portugal e das opções políticas deste, embarcam a partir de 1826 numa viagem pela Europa, da qual resulta na escrita de um diário, com 25 anos de idade.

Este diário, até ao momento inédito, seria escrito de forma mais prolixa até 1833 dando conta dos diversos países visitados – Inglaterra, França, Suiça, Itália, Áustria e Alemanha; da elite social e artística do seu tempo, mas
mulheres02_pedro_urbano
também os seus consumos culturais, bem como a conjuntura política nacional, permitindo uma visão do quotidiano feminino da primeira metade do século XIX na primeira pessoa.

Pedro Urbano: Doutorado em Ciências Históricas pela NOVA-FCSH, cuja tese financiada pela FCT venceu a 23.ª edição do Prémio Victor Sá de História Contemporânea da Universidade do Minho. É investigador integrado do IHC e investigador convidado do CEC-FLUL, tendo participado em diversos projectos de investigação em várias universidades portuguesas como Portuguese Women Writers e Site Escritoras, bem como em redes europeias de investigação, nomeadamente as COST Action Women Writers in History e Reassembling the Republic of Letters, 1500-1800. Obteve financiamento no CEECIND 2017 com o projecto Women (e)go: nineteenth century Portuguese female self-writing.

Fonte: bnportugal.pt

Outros artigos em Divulgação Cultural:

O Museu em casa | Abril no Museu

O Museu em casa | Abril no Museu

Este mês, o Museu propõe novas formas interativas de descobrir as suas coleções apesar de estar temporariamente encerrado. Da visita virtual às rubricas Arte Num Minuto ou Uma Coleção com Histórias, o website oferece vários conteúdos que lhe permitem saber mais sobre os nossos acervos

Apoios/Parcerias:

Associação Portuguesa para o Estudo Clínico da SIDA (APECS)By The BookCarmo's Residence - Art ApartmentsConsulped - Consultórios de Pediatria e da Famíliaideiavirtual - aplicações interativasLACPEDI - Liga de Apoio Comunitário em prol do Estudo das Doenças InfecciosasLiga dos Amigos do Hospital de São Bernardo, LAHSB-CHS
LASAOrdem dos MédicosSociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos (SOPEAM)Sociedade Portuguesa de Medicina Interna: SPMISociedade Portuguesa de Medicina do Viajante (SPMV)sYnapsis