Notícias

Divulgação Cultural

Ciclo de Conferências | Literatura Escrita por Mulheres – Poetisas na Grécia antiga | 26 set. | 18h30 | BNP

Ciclo de Conferências | Literatura Escrita por Mulheres - Poetisas na Grécia antiga | 26 set. | 18h30 | BNP

Literatura Escrita por Mulheres – Poetisas na Grécia antiga
CICLO DE CONFERÊNCIAS | 26 set. ´19 | 18h30 | Auditório | Entrada livre | Programa

Isabel Araújo Branco organiza a edição de 2019/2020 das conferências dedicadas a «Literatura Escrita por Mulheres», a terceira deste ciclo de encontros realizado no âmbito da linha de investigação «História das Mulheres e do Género», do CHAM-Centro de Humanidades NOVA.

A História tem vindo a ser escrita ao longo do tempo como um construto que generaliza a vivência humana através da padronização do e no masculino. História sem género, dir-se-ia, mas que afinal exclui as mulheres da história. A historiografia tem construído barreiras de análise cultural, social, religiosa e política que excluem as mulheres.

Com coordenação de Maria Barreto Dávila, a linha de investigação «História das Mulheres e do Género», do CHAM pretende contrariar esta tendência e constituir-se como uma área de investigação inovadora e multidisciplinar.

Poetisas na Grécia antiga

Pensar na literatura da Antiguidade é pensar numa escrita masculina, mesmo que possa representar situações e sentimentos femininos. No entanto, isso não impede que encontremos algumas escritoras, como sucede na Grécia. Na poesia destacam-se duas figuras, que viveram em diferentes épocas: Safo e Ânite. A primeira – a mais conhecida – natural de Lesbos, viveu no século VI a. C. Apelidada por Platão de “décima Musa”, escreveu uma grande quantidade de poemas líricos, dos quais apenas nos chegaram sobretudo fragmentos. Dela se sabe que dirigia um tíaso, cujo objectivo seria preparar as jovens para o casamento.

Já de Ânite de Tégea se sabe menos. Tendo vivido pelo século III a. C., o pouco que dela se conhece são alguns epigramas na Antologia Grega. As suas temáticas variam entre descrições da natureza, poemas campestres e poemas fúnebres ou de carácter religioso.
Partindo dos poemas que nos chegaram, procuraremos mostrar como estas duas mulheres, que viveram separadas pelo tempo em sociedades distintas, imprimiram à sua poesia delicadeza e sensibilidade, permitindo-nos ter uma imagem, por pequena que seja, da mulher grega.

Leonor Santa Bárbara: É Doutora em Literatura Grega e Professora Auxiliar na NOVA FCSH, onde ensina Grego, Literatura Grega e Cultura Clássica Grega na licenciatura de Estudos Portugueses. Tem ainda a cargo o seminário de Matrizes Clássicas da Cultura Portuguesa, do Mestrado de Ensino do Português no 3.º ciclo do ensino básico e no ensino secundário e do Latim no Ensino Secundário. É investigadora do CHAM–Centro de Humanidades desde 2013. Os seus interesses integram-se na área da cultura e da literatura gregas antigas, sobretudo o período helenístico. Tem várias publicações nacionais e internacionais, entre as quais se destacam traduções para Português tanto de estudos relativos à cultura e literatura gregas (E. R. Dodds, E. Havelock, Jacqueline de Romilly e Félix Guirand) como de textos gregos e latinos (epigramas da Antologia Grega relativos aos temas do amor e da morte; colaboração na tradução de D. Jerónimo Osório, De Gloria), a par de outras colaborações, sejam artigos ou capítulos de livros.

Fonte: bnportugal.pt

Outros artigos em Divulgação Cultural:

Apoios/Parcerias:

Associação Portuguesa para o Estudo Clínico da SIDA (APECS)By The BookCarmo's Residence - Art ApartmentsConsulped - Consultórios de Pediatria e da Famíliaideiavirtual - aplicações interativasLACPEDI - Liga de Apoio Comunitário em prol do Estudo das Doenças InfecciosasLiga dos Amigos do Hospital de São Bernardo, LAHSB-CHS
LASAOrdem dos MédicosSociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos (SOPEAM)Sociedade Portuguesa de Medicina Interna: SPMISociedade Portuguesa de Medicina do Viajante (SPMV)sYnapsis