Notícias

Divulgação Cultural

Visita guiada | Letra perfeita e clara que se pode ler sem óculos: 550 anos da morte de Gutenberg | Amanhã | 18h00 | BNP

Visita guiada | Letra perfeita e clara que se pode ler sem óculos: 550 anos da morte de Gutenberg | Amanhã | 18h00 | BNP

Letra perfeita e clara que se pode ler sem óculos
Nos 550 anos da morte de Gutenberg
EXPOSIÇÃO | 20 mar. – 8 jun. ’18 | Sala de Exposições – Piso 3 | Entrada livre

A 3 de fevereiro de 1468 morreu em Mainz, cidade do Império Austro-Húngaro (hoje território da Alemanha), Johann Gutenberg. Sobre essa data passaram – no dia 14 de fevereiro (segundo o sistema atual de datação) – 550 anos.

Gutenberg fica para a história como o homem que inventa a tipografia; invento esse que alicerça o conhecimento e impulsiona o caminho da modernidade. A escrita produzida com tipos apresenta-se limpa, com letras bem desenhadas e com bastante legibilidade.

«Impressio Librorum», Antuérpia, ca 1591 (BNP E.A. 15//4 P.)

«Impressio Librorum», Antuérpia, ca 1591 (BNP E.A. 15//4 P.)

A Biblioteca Nacional de Portugal conserva na sua coleção um exemplar da Bíblia que saiu dos seus prelos, em Mainz, antes de 1456. A composição de um livro com esta envergadura demorava, na época, mais de um ano a ser produzido.

Em torno dessa obra produziu-se uma exposição evocativa do progresso e avanço da tipografia na Europa até ao seu estabelecimento em Portugal.

A exposição é comissariada por João Alves Dias.

Fonte: bnportugal.pt

Outros artigos em Divulgação Cultural:

Notícia | O site do O’neill | já online

Notícia | O site do O’neill | já online

O site dedicado à vida e obra de Alexandre O’Neill é uma das linhas de ação de Lugares de O’Neill, projeto de investigação nos domínios da Língua e da Cultura Portuguesas, integrado no Centro de Estudos de Comunicação e Cultura da Universidade Católica Portuguesa e financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, que se desenvolveu entre 2018 e 2019

Mostra | A poesia de Amália | 15 out. – 15 dez. | BNP

Mostra | A poesia de Amália | 15 out. – 15 dez. | BNP

No início de 1959 Amália faz mais uma temporada no Olympia, em Paris, com brilho incontestável de vedeta internacional – a revista Variety considera-a nesse ano uma das quatro maiores cantoras do mundo. Numa dessas noites apresenta-se nos bastidores um rapaz que lhe oferece uma melodia. Tem trinta anos e chama-se Alain Oulman.

Renovação da Galeria René Lalique e uma nova exposição do artista

Renovação da Galeria René Lalique e uma nova exposição do artista

No final do mês, o Museu Gulbenkian inaugura René Lalique e a Idade do Vidro. Esta exposição gratuita centra-se na relação do artista com o vidro e reúne cerca de 100 obras da sua autoria, provenientes da Coleção Gulbenkian, do Musée Lalique de Wingen-sur-Moder e de outras coleções particulares.

Apoios/Parcerias:

Associação Portuguesa para o Estudo Clínico da SIDA (APECS)By The BookCarmo's Residence - Art ApartmentsConsulped - Consultórios de Pediatria e da Famíliaideiavirtual - aplicações interativasLACPEDI - Liga de Apoio Comunitário em prol do Estudo das Doenças InfecciosasLiga dos Amigos do Hospital de São Bernardo, LAHSB-CHS
LASAOrdem dos MédicosSociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos (SOPEAM)Sociedade Portuguesa de Medicina Interna: SPMISociedade Portuguesa de Medicina do Viajante (SPMV)sYnapsis