Notícias

Divulgação Cultural

Tomás da Fonseca (1877-1968)

Mostra | Tomás da Fonseca (1877-1968) | 10 fev. - 10 mar. | BNP

DESTAQUE | 10 fev. – 10 mar. ’18 | Sala de Referência | Entrada livre

Tomás da Fonseca na biblioteca da sua casa de Mortágua, década de 50. In «Tomás da Fonseca, Missionário do Povo», Luís Filipe Torgal. Lisboa. 2016 [BNP H.G. 73342 V.]Nascido num pequeno povoado da Serra do Caramulo em 10 de março de 1877, seminarista que veio a tornar-se ateu, anticlerical e republicano, maçon que teve simpatias comunistas, José Tomás da Fonseca teve um percurso político multifacetado e intenso desde a preparação ideológica republicana à oposição ao sidonismo e ao salazarismo.

Polígrafo compulsivo com vastíssima intervenção na imprensa, foi polemista e pensador, poeta e historiador, sendo ainda relevante a suas ligações ao ensino, tanto como professor como pedagogo. Tão multímoda a sua obra, nela pode destacar-se a do polemista convicto e severo que, segundo recente tese de Luís Filipe Torgal, teve diferenciadas leituras: «Os detratores de Tomás da Fonseca acusaram-no de republicano sectário, apóstata, anticlerical fanático, satânico, mistificador e iconoclasta. Pelo contrário, os seus admiradores representaram-no como missionário do povo, apóstolo cívico do laicismo, símbolo dos livres-pensadores portugueses, destruidor de falsos mitos da História, Política e Religião.»

Falecido em 12 de fevereiro de 1968, foi reconhecido postumamente com o grau de comendador da Ordem da Liberdade em 1984. No cinquentenário da morte a Biblioteca Nacional de Portugal dedica-lhe uma homenagem.

Fonte: bnportugal.pt

Outros artigos em Divulgação Cultural:

Mostra | Irmãs Brontë: 200 anos | 20 setembro – BNP

Mostra | Irmãs Brontë: 200 anos | 20 setembro – BNP

As irmãs Charlotte (1816-1855), Emily (1818-1848) e Anne (1820-1849) Brontë, filhas de Patrick Brontë (1777-1861) e Maria Branwell (1783-1821), nasceram no início do século XIX, com dois anos de intervalo entre si, e ficaram conhecidas como romancistas e poetisas, tendo publicado as suas obras em datas próximas e, como era aliás comum na época, sob pseudónimos masculinos

Sessão | Augusto Abelaira, um amigo também | 19 set. | 18h00 | BNP

Sessão | Augusto Abelaira, um amigo também | 19 set. | 18h00 | BNP

Encontro sobre Augusto Abelaira, com intervenções de: Maria Antónia Palla – Augusto Abelaira, um amigo também | Paulo Alexandre Pereira – Outrora, agora. Ler Augusto Abelaira hoje. Este encontro decorre no âmbito da exposição Augusto Abelaira e o continuum narrativo, patente na BNP até 29 de setembro

Apoios/Parcerias:

Associação Portuguesa para o Estudo Clínico da SIDA (APECS)By The BookConsulped - Consultórios de Pediatria e da Famíliaideiavirtual - aplicações interativasLACPEDI - Liga de Apoio Comunitário em prol do Estudo das Doenças InfecciosasLiga dos Amigos do Hospital de São Bernardo, LAHSB-CHSLASA
Ordem dos MédicosSociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos (SOPEAM)Sociedade Portuguesa de Medicina Interna: SPMISociedade Portuguesa de Medicina do Viajante (SPMV)sYnapsis