Notícias

Divulgação Cultural

Gurre Lieder · 24 Fev 2018 · Arnold Schoenberg

Gurre Lieder · 24 Fev 2018 · Arnold Schoenberg

Uma obra raramente tocada, um dos grandes acontecimentos musicias do ano

ORQUESTRA SINFÓNICA DO PORTO CASA DA MÚSICA
CORO CASA DA MÚSICA
ESTÁGIO DE CORO DA ESMAE
Stefan Blunier direcção musical
Magdalena Anna Hofmann Tove/soprano
Christina Daletska Waldtaube/meio-soprano
Robert Dean Smith Waldemar/tenor
Jeff Martin Klaus-Narr/tenor
André Baleiro Bauer/barítono
Salome Kammer narradora

Arnold Schoenberg Gurre-Lieder (versão Erwin Stein)

Era uma vez um rei dinamarquês, chamado Valdemar, cuja mulher assassinou a sua amante no Castelo de Gurre. Esta lenda deu origem às Canções de Gurre com base em poemas de Jacobsen que Schoenberg conheceu na tradução alemã. O resultado foi uma grande cantata para orquestra, coro, narrador e cinco solistas. Estreada na Musikverein de Viena em 1913, a cantata teve um sucesso estrondoso e é considerada uma das grandes obras-primas da música ocidental. Nesta interpretação, sob a direcção de Stefan Blunier, Gurre-Lieder conta com um elenco internacional de solistas em que se inclui o barítono português André Baleiro, o mais recente vencedor do Concurso Internacional Robert Schumann de Zwickau.

Mais informações »

Outros artigos em Divulgação Cultural:

Encontro | O legado d’As mil e uma noites | 24 out. | 14h00 | BNP

Encontro | O legado d’As mil e uma noites | 24 out. | 14h00 | BNP

São apresentadas e debatidas algumas comunicações sobre a receção, representação, tradução e presença d’As mil e uma noites na cultura portuguesa e a nível internacional, principalmente na literatura. O evento decorre no âmbito da exposição As mil e uma noites em Portugal comissariada por Fabrizio Boscaglia, Hugo Maia e Renata Fontanillas

Concerto | Sarau dos Amores: Coro de Câmara da Universidade de Lisboa | 20 out. | 16h00 | BNP

Concerto | Sarau dos Amores: Coro de Câmara da Universidade de Lisboa | 20 out. | 16h00 | BNP

Renascença, tempo de (re)conquista e (re)descoberta do Homem, do mundo e de tudo o que este tinha para dar. Após centenas de anos de amores condenados e proibidos, o amor do renascimento não escapou ao florescer da expressão humana, onde proliferaram as paixões, as conquistas, as saudades, os pesares, as tampas, as despedidas, os desprezos, as traições, o exímio galanteio e os seus grandes ícones

Apoios/Parcerias:

Associação Portuguesa para o Estudo Clínico da SIDA (APECS)By The BookConsulped - Consultórios de Pediatria e da Famíliaideiavirtual - aplicações interativasLACPEDI - Liga de Apoio Comunitário em prol do Estudo das Doenças InfecciosasLiga dos Amigos do Hospital de São Bernardo, LAHSB-CHSLASA
Ordem dos MédicosSociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos (SOPEAM)Sociedade Portuguesa de Medicina Interna: SPMISociedade Portuguesa de Medicina do Viajante (SPMV)sYnapsis